sexta-feira, setembro 28

Diário de Guerra

Vou deixar neste espaço um cheirinho de um livro que está a ser fabricado por um Senhor que trata as palavras por você, que usa as rimas para enfeite e que emana um timbre de voz encantador. Isto é apenas uma pequena migalha de um grande cacete. Senhoras e Senhores, Meninos e Meninas, Heterós e Gayatos...... Toooooomméééééééé de Chelasssssssss
"... Esta é a história de um sargento em plena guerra ultramarina. História essa que retrata ao pormenor cenários de guerra, operações efectuadas a mutilados de guerra, cenas de sexo escaldante nas camaratas com camaradas de combate e mesmo com as próprias mãos, carinhos trocados enquanto defecavam no mato entre muitos mais relatos verídicos e não só.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência, ou não. Quem já leu os primeiros rascunhos atribui ao autor plágios constantes em relação ao filme Emilie e ao jornal Metro.
Quem estiver interessado em ler o resto da história vai ter de esperar alguns meses para que se concluam as cópias, pois a fotocopiadora da Associação Desportiva e Cultural de Picha foi roubada durante um furto na noite de Consoada do ano transacto..."
Obrigado
Tomé de Chelas
Em outra ocasião falarei com mais pormenor da vida e obra deste mensageiro cultural. Fiquem atentos!!!

2 Bitaites:

de Chelas disse...

Gosto partucularmente do adjectivo que me é colocado "mensageiro cultural". Caro taberneiro tás cá dentro

Absinto disse...

um verdadeiro Camões dos tempos modernos